8ª Conferência da Estrela – Despovoamento e Baixa Densidade

A Biblioteca Municipal Maria Teresa Maia Gonzalez, em Fornos de Algodres, acolhe esta quarta-feira, 13 de setembro, pelas 14h30, a 8ª Conferência da Estrela, sob o tema Despovoamento e Baixa Densidade.

Esta conferência faz parte do ciclo de conferências organizadas pelo Aspring Geopark Estrela, onde se discutem alguns dos problemas e das preocupações do Território candidato a Geopark Mundial da UNESCO.

O Aspiring Geopark Estrela tem por missão contribuir para a proteção, valorização e dinamização do património natural e cultural, com especial ênfase no património geológico, numa perspetiva de aprofundamento e divulgação do conhecimento científico, fomentando o turismo e o desenvolvimento sustentável do território do Geopark Estrela, com uma área total de 2.737,72 Km2 e 171.668 habitantes, pertencentes aos municípios de Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Gouveia, Guarda, Manteigas, Oliveira do Hospital e Seia, bem como apostar na melhoria da qualidade de vida das populações dando amplo relevo à educação, ao desporto, às artes, à cultura e ao turismo, promovendo a competitividade territorial do destino Serra da Estrela.

 

Remoção de Plantas Invasoras na Ribeira da Muxagata

A Câmara Municipal de Fornos de Algodres iniciou esta semana, os trabalhos de remoção de plantas invasoras no leito do açude da Ribeira da Muxagata.

Vulgarmente conhecidas por Morrão dos fogueteiros, trata-se de uma espécie ripícola com enorme capacidade de propagação. Tendo-se registado um avanço significativo da sua ocupação ao longo destes 2 últimos anos, fato a que não é alheio o regime de precipitações  elevado a que temos assistido, a edilidade decidiu aproveitar as condições climatéricas deste início de Outono para dar início aos trabalhos que se prevê estejam concluídos dentro de duas semanas.

Seguindo as orientações resultantes da monitorização efectuada pelos serviços técnicos, pretendeu-se que realização dos trabalhos não colidisse com a prioridade de manutenção de caudais mínimos de verão, não obstante a execução do trabalhos ser mais fácil naquela altura .

Além das acções de extração da plantas invasoras, autorizada pela Administração da Região Hidrográfica do Centro, pretende-se através da retirada de lamas , aumentar a capacidade de armazenamento desta pequena albufeira.

Seguindo orientações daquela entidade, todo o material extraído encontra-se a ser depositado em zona que cumpre os preceitos exigidos conducentes ao impedimento da proliferação das plantas invasoras.

Esta intervenção enquadra-se na visão da autarquia de valorizar os recursos ambientais existentes no seu território.